Tuesday, August 22, 2006

Hide




"- O meu filho é o segundo mais pequeno da turma dele.
- Isso não quer dizer nada, tenho um colega meu que era o mais pequeno da turma e que, agora, está da minha altura. - confortei-lhe eu acrescentando - de qualquer maneira um homem não se mede aos palmos.
- Sim eu sei. Mas eu não quero ver o meu filho ao lado de uma mulher maior do que ele. Não nada de ver esses casais, ficam tão mal um ao lado do outro.
- Como se fosses tu a escolher. - observou a minha mãe com chacota e lançando-me um olhar alegre.
- Desde que ele não seja paneleiro!
Seguiu-se uma risada com muita farsa pelo meio.
- E se for. - disse a minha mãe.
- Ai! Que horror!"

...

" - Eu quero casar-me contigo. - disse o meu pai para o meu primo de 8 anos, enquanto jantavamos.
- Cala-te!
- Não queres casar comigo?
- Não.
- Porquê?
- Porque não.
- Vais querer casar-te com uma mulher ou com um homem?"

Apetecia-me cuspir-lhe "pergunta certa para pessoa errada". Eu sei perfeitamente que o meu pai utilizou este diálodo, sem senso, para abordar aquilo que me custa tanto falar... Mas nunca entendi se ele realmente quer que eu lhe fale, vou lhe responder se me perguntar directamente, estes joguinhos não funcionam comigo.
Não é a primeira vez que me sinto cercado desta maneira, e nessas alturas, só me apetece fugir para este escritório, no qual passo a maior parte do meu tempo. Eu sei que esconder-me não é a melhor solução ... mas é tão difícil!!!!

4 comments:

Filipe said...

É de facto dificil, mas é dificil para ambas as partes. Um pai perguntar ao filho sobre a sua orientação sexual não é das coisas mais faceis, e muitas vezes nao sabem como abordar o tema. Mas tu ja tens o apoio da tua mãe o que é muito bom.
Vais ver que com o passar do tempo vais passar a esconder te menos no escritorio ;)

SSSS said...

Deve de ser dificil mas apesar de tudo o importante é lutar para conseguires que te aceitem melhor.

Entendo que para os teus pais seja dificil pois, provavelmente, nunca imaginaram viver tal situaçao. mas o amor pelo filho deveria permanecer sempre.


Um beijo, Sonia

Nobody's Bitcho said...

às vezes, agir como se nada fosse, é a melhor coisa a fazer.

A minha mãe também já me deu uns toques quanto à sua duvida em relação à minha sexualidade, mas fingia que não me apercebia. É a tal coisa, querem saber, perguntem directamente. Deixem-se de rodeios ;)


Mas o essencial é manter a calma. Tá?


Hugz :)

AP said...

Oi, vim pela 1ª vez aqui... gosto blog, vou vir mais vezes!
Em relação à questão: eu pessoalmente tenho uma combinação com o meu pai (a minha mãe morreu): eu não opino na vida pessoal dele sem ser chamado e vice-versa. Ele conversa sobre ele comigo e nunca me pergunta sobre a minha vida. Enquanto não me perguntar nada lhe direi, assumo que sabe mas não quer conversas e eu respeito! Mas isto sou eu que não vivo com ele, mas acho que 90% dos pais sabem e se não perguntam é porque não querem falar nisso, há que respeitar. mas olha, a pergunta à criança não era como que a dizer que tudo ok, mesmo não querendo falar nisso? eu não o conheço, por isso não sei! gere com cautela, eles também sofrem!